site4

Por Camila Rego. 

Essa semana passou voando. Quando eu abri os olhos já era sábado… Fiquei com a sensação de que se eu parasse para respirar já seria quarta feira de novo. E realmente, tudo anda muito acelerado nesses últimos tempos. Quem não gostaria de ter um dia de 30 horas, ou melhor, um final de semana de três dias? Eu acho que não sou a única que preferiria as duas opções.

… Tudo se acelera na era da informação, as relações, os costumes, a alegria e a solidão. O tempo é mais curto, a distancia é mais curta, porém muito se fala e pouco se escuta. É querer abraçar o mundo com seu coração, mas a calma é o processo o caminho a depuração…
Diego Miranda / Gabriel Leal / Vitor Isensee

Creio que o trecho de música exemplifica bem a nossa realidade e a intenção desse texto. Somos jovens, queremos conquistar o mundo, fazer a diferença… E não temos tempo a perder! Mas as consequências de viver a 150 Km/H é que muitos, assim como eu, ficam ansiosos e preocupados.

A ansiedade não é um sentimento muito bom de ter no peito. Ela vai te consumindo, destruindo a sua paz. E ela tem uma aversão especial a travesseiros, não deixa seus portadores colocarem suas cabeças sob os travesseiros tranquilamente. Mas Jesus, em um dos seus muitos sermões, deixou um ensinamento precioso que ainda hoje é muitíssimo válido. 

Se possível, abram suas bíblias, ou aplicativos no celular, em Mateus 6: 25-34. O mesmo Deus que nos criou sabe exatamente quais sãos as nossas necessidades e não vai ignora-las, e se preocupar com o que ainda não aconteceu nos impede de fazer o nosso melhor hoje. Todos os problemas que enfrentamos constantemente na nossa rotina podem ir minando nossa confiança em Deus, o que pode se tornar um problema maior ainda.

Se Ele cuida tão bem até dos mais efêmeros lírios do campo por acaso se esqueceria de nós? Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e Aquilo que Ele quer para nós, que nosso Senhor se encarregará de nos guiar pelos caminhos mais aprazíveis. O dia de amanhã nem ao menos chegou, aliás, nem nos pertence! Basta enfrentar as dificuldades de cada dia.