INTRODUÇÃO. O homem desfrutava da plena comunhão com Deus, mas a desobediência o fez perder essa condição tão excelente, mas não estava tudo perdido como apostou o Diabo, pois Deus é Pai e não padrasto. Para reconduzi-lo ao seu estado inicial, ou seja, de vida eterna, traçou um plano perfeito, pois amou de tal maneira o homem que criara e não o deixaria na condenação eterna.

I. O PARAÍSO NO ÉDEN. O jardim do Éden( talvez com o significado de ‘encanto’).esse habitat original( hebr. gan, Lit. “um lugar rodeado de cerca viva” ou “um lugar protegido”) era um abrigo agradável no qual havia tudo que o homem e a mulher precisavam: alimento(Gn. 2.9); beleza(Gn.2.9), água(Gn.2.10), comunhão com Deus(Gn. 2. 16) e companhia humana. Este Paraíso formado por Deus fora dado ao homem para que ali desfrutasse de toda sua perfeição.

II. A TENTAÇÃO NO PARAÍSO. Satanás escolheu se disfarçar de criatura sagaz, astuta, esperta. Iniciou sua conversa com a mulher duvidando do que Deus dissera( Gn. 3. 1). A mulher distorceu a ordem dada por Deus ao acrescentar sua própria interpretação: ‘nem tocareis nele para que não morrais’ (v. 3). Eva pode ter exagerado na esperança de tornar a ordem Deus tão restritiva que parecesse injusta ou que Adão não tivesse comunicado a proibição corretamente a ela. Usando a frase da ordem divina, a serpente contradisse Deus. A tentação de desobedecer  envolvia obter conhecimento antes de aprender a obedecer. Em última análise, toda tentação envolve o agir à nossa maneira em vez de à maneira de Deus(Pv. 14.12; 22.6).

III. O JUÍZO DE DEUS. As sentenças proferidas para o homem e para a mulher na hora da queda afetaram não só o relacionamento entre eles, mas também a relação com Deus e com a natureza. Como resultado da queda, sofrimento foi acrescentado ao parto, tirania à liderança, rebelião à submissão e dificuldade ao trabalho. O julgamento de Deus para a serpente não faz distinção entre a criatura terrestre e Satanás, a serpente é encantadora e mortal, que mais tarde se revelou como animal de inteligência sedutora(Ap. 12.9) e representa oposição a Deus. E  a sentença para ela era ‘comerás pó’.

CONCLUINDO. Mesmo com a queda de Adão e Eva, Deus não desistiu de seu plano, a salvação está garantida, Satanás perdeu. Além de não merecermos nada, o Pai proveu-nos uma tão grande salvação para a qual convém atentarmos(Hb. 2.3).

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

Bíblia Da Mulher, 1995 – Sociedade Bíblica do Brasil.